quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Por que a Globo deixou passar a nova Lei do cabo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...Texto publicado em: Conversa Afiada


O Senado aprovou uma nova lei para a tevê por assinatura que resultará em dupla perda para a Folha (*) e uma perda para a Globo.

Só falta a sanção presidencial.

O projeto vai permitir baratear o pacote telefone-banda larga-tevê por assinatura.

E assim democratizar o acesso à teve por assinatura.

Por décadas, a Globo segurou a indústria da assinatura, para não canibalizar a teve aberta.

A assinatura é cara e só passa o que interessa à Globo (aberta) : filme americano e a exibição de seus 1001 analistas de tabela do Brasileirinho.

Agora, com a nova lei, a programação terá que ter conteúdo nacional no horário nobre.

E conteúdo de produção independente.

As empresas poderão ter ate 70% de capital estrangeiro.

E a Globo vai concorrer com quem tem músculo.

Em três meses, a Telefônica fatura o que a Globo fatura por ano.

Porque, agora, as teles vão poder controlar, no papel, o que já faziam escondidinho: o Slim da Embratel vai mandar na Net, que era da Globo; e a Telefônica, na TVA, que, por um breve período, foi da Abril.

Pela nova lei, quem faz conteúdo (Globo) não vai poder distribuir (telefônicas).

E quem distribui não vai produzir conteúdo.

As telefônicas vão ter que comprar produção independente, nacional.

Como se sabe, 50% dos empregos de Hollywood são de profissionais de produção independente para tevê.

Só com o monopólio foi possível a Globo produzir ela mesma 90% da sua programação.

Em qualquer outro regime democrático do mundo ela teria quebrado.

Como é que a Globo deixou passar a nova lei ?

Em Brasília, no Congresso e no Palácio do Planalto, este ansioso blogueiro recolheu nesta quarta feira as seguintes versões.

- a Globo bobeou. Quando viu já era tarde. Isso rolava no Congresso há tanto tempo que ela se distraiu.

- não, a Globo, no fim, chegou até a colaborar com o Governo para aprovar.

- não, os senadores da Globo lutaram contra até o fim.

- os senadores da Globo quiseram por todos os meios impedir a obrigatoriedade do “conteúdo nacional”. A Globo não quer ver no cabo um produto nacional que brigue com ela, na tevê aberta.

- a Globo é muito esperta. O que ela mais queria ela conseguiu: impedir que as teles produzissem conteúdo. Já imaginou se o Slim comprasse a Copa do Mundo com exclusividade para o Brasil, o México e a Argentina?

- não, a Globo se deu mal. Ela perdeu para a nova realidade dos fatos:

1) Assim como o Ricardo Teixeira, a Globo já viveu dias melhores em Brasília. O ar de Brasília ficou muito seco para a Globo e o Ricardo Teixeira. Esta mais difícil respirar;

2) O Congresso tem uma sensibilidade especial para perceber onde esta o poder. O poder ($$$) passou às mãos das telefônicas. Aos portadores e transmissores de conteúdo digital, em banda larga, ao terceiro comprador de computadores do mundo, depois dos Estados Unidos e da China

Como diria o Galvão Buenos depois que a Holanda empatou: a situação já esteve melhor para a seleção brasileira.


Paulo Henrique Amorim

0 comentários: